Final ICANN 61: Caminhos para os dados abertos com ODI e ITI

Nivaldo Cleto (*)

15 de março de 2018

 

Mais para o fim da reunião 61 da ICANN, foi possível acompanhar uma sessão Cross Community, envolvendo membros da comunidade de todas as especialidades, intitulada “Open Data at ICANN: Developing Avenues Forward for Transparency”. Essa tinha como objetivo avançar os esforços da instituição na direção de se tornar mais transparente e capaz de lidar com as crescentes pressões que sofre agora que as funções IANA foram transferidas e consolidadas dentro de seu controle, não mais pertencendo ao governo dos Estados Unidos.

Esse esforço é desdobrado em duas frentes que, apesar de possuírem os dados abertos em seu cerne, são fundamentalmente diferentes. Por um lado, temos a Open Data Initiative (ODI), enquanto por outro temos a ICANN Transparency Initiative (ITI), e é valido pararmos para compreender esses projetos individualmente, pois eles afetarão o funcionamento futuro da ICANN de maneira substanciosa.

Na ODI, o que se busca é olhar para o alto volume de informações gerados dentro dos processos de formação de políticas que se passam dentro do ambiente ICANN e estudar maneiras de tornar esse conjunto vasto de dados mais acessível para estudo e processamento, de maneira que se torne possível criar recomendações, estatísticas, e melhor orientar esforços futuros.

Já o ITI é lago interno e parte de algo mais complexo, que é a reestruturação da presença da ICANN na Web. Não é novidade que o website da ICANN sofre de problemas sérios de funcionalidade devido a não ser adaptado ao escopo e volume de atividades que cresceu na instituição ao longo dos tempos. Os documentos publicados pela ICANN enquanto organização também são mal catalogados e muitas vezes de difícil acesso. O projeto busca melhorar esses aspectos em conjunto com a reforma da parte Web.

A Business Constituency (BC) tem sido consistente e vocal nas suas demandas de que esses projetos sejam priorizados, pois para o usuário do setor empresarial é essencial o trabalho como dados confiáveis e constantes, que informem decisões de negócios sólidas e com sustentabilidade. Para o novo ano fiscal da ICANN, nossa demanda continua a mesma.

Representando a BC no painel estava o pesquisador da UNESP Mark W. Datysgeld, com o apoio do Conselheiro do CGI.br do Setor Empresarial, Nivaldo Cleto. (Ambos membros da ICANN Business Constituency)

Link para a sessão: https://61.schedule.icann.org/meetings/647628

(*) Nivaldo Cleto – Conselheiro do Comitê Gestor da Internet no Brasil CGI.br – Setor Empresarial Usuários de Internet e membro da ICANN Business Constituency.