ICANN61 – Reunião de Universal Acceptance com membros brasileiros da Business Constituency

Nivaldo Cleto (*)

O processo de Universal Acceptance (UA) é um passo importante no reconhecimento de que a Internet está se tornando realmente um mecanismo global de comunicação, no qual se faz necessário integrar línguas que não possuem o alfabeto latino como base.

Nos últimos anos está se acelerando o processo de adoção dos Internationalized Domain Names (IDNs), que incluem uma diversidade de caracteres asiáticos e cirílicos. No momento, muito do código de softwares e plataformas Web destinadas a interagir com endereços de e-mail e nomes de domínio não estão preparados para lidar nem com os novos TLDs (como “.site”, “.bar” e afins), e muito menos com outros alfabetos. O UA busca mudar isso.

Pode não parecer tão evidente ainda, mas essa demanda cresce muito rapidamente entre aqueles que possuem outras línguas como base, e ainda observamos empresas que buscam inovar sua identidade online e gerar benefícios de segurança começando a migrar para novos TLDs. Um cenário que queremos evitar é o de que empresas percam oportunidades, clientes, notícias e outros caminhos para a otimização no mercado global devido a limitações técnicas, e é por isso que ações precisam começar a ser tomadas.

Para obtermos aceitação universal, todos os TLDs precisam ser tratados de maneira consistente, o que inclui os novos nomes e os internacionalizados. Eles precisam ser aceitos, validados, armazenados, processados e exibidos em todos os sistemas. Nesse ponto entra em ação o Universal Acceptance Steering Group, um esforço comunitário direcionado a programadores e equipes de TI interessados em ajudar na incorporação desses ideais em formato de código, aumentando as possibilidades de conexão global.

Durante a ICANN 61, em San Juan, ocorreu uma reunião entre Don Hollander, Secretário Geral do grupo que coordena o UA, com os membros latinos da Business Constituency (BC), junto da liderança regional da ICANN. Estavam presentes: Nivaldo Cleto (CGI.br/ICANN), Paulo Roque (ABES), Rodrigo de la Parra (ICANN org.), Daniel Fink (ICANN org.), o consultor Mark Datysgeld (Governance Primer) e o analista de políticas industriais Fabiano Barreto (Confederação Nacional da Indústria-CNI). Além do caráter informativo, ficou estabelecido que serão estudados esforços para expandir o projeto no Brasil.

Fonte de apoio: https://www.icann.org/resources/pages/universal-acceptance-2012-02-25-en

 

(*) Nivaldo Cleto é Conselheiro do Comitê Gestor da Internet no Brasil – CGI.br e membro da Business Constituency (ICANN)